♥ Perdão, Leonard Peacock ♥

Mattew Quick

 

Mato você mais tarde – digo para o sujeito no espelho, e ele apenas sorri de volta, como se mal pudesse esperar. 

 

… Se as coisas não forem melhorar mesmo, eu preciso saber agora. Apenas me diga. Poupe-me da porra de um destino terrível. Por favor.

 

Na maioria das vezes, a verdade não importa, e quando as pessoas fazem uma ideia terrível de você, é assim que você será visto, não importa o que faça.

 

Assim que você toma a iniciativa de conhecer alguém da sua idade, tudo o que você achava mágico a respeito dessa pessoa vira merda bem diante dos seus olhos.

 

Espero não sentir nada. 

O super nada.

Espero simplesmente deixar de existir.

 

Estou prontíssimo para acabar com a minha vida.

Será maravilhoso finalmente terminar com tudo.

Este será o melhor presente de aniversário de todos, eu tenho certeza disso.

 

Essas pessoas que chamamos de mamãe e papai nos trazem para o mundo e, em seguida, não nos acompanham em nossas necessidades ou não nos dão qualquer resposta. No fim das contas, é cada um por si, e eu simplismente não fui feito para levar esse tipo de vida.

 

Por que os sujeitos bacanas quase sempre nos decepcionam assim que começamos a acreditar neles? Seria uma regra universal ou algo assim? Que porra é essa?

 

Talvez eu tenha me permitido me tornar essa pessoa maluca, deprimida e incompreendida. 

Talvez tudo isso seja culpa minha.

 

Acabe com isso. Apenas puxe o gatilho. Facilite as coisas para todos.

 

Não esrá bem porra nenhuma. E, no entanto, é exatamente o que eu mais quero estar: bem.

 

Eu me sinto como se estivesse quebrado. Como se eu nunca mais pudesse me ajustar. Como se não houvesse mais lugar para mim no mundo ou algo assim. Como se eu tivesse ultrapassado o meu tempo de estadia aqui na terra, e todo mundo estivesse constantemente tentando me dar dicas sobre isso. Como se eu devesse apenas ir embora. 

 

Não deixar o mundo destruí-lo. Essa é uma batalha diária. 

 

Que tipo de mãe esquece o aniversário de 18 anos do filho? Que tipo de mãe ignora tantos sinais de alerta.

 

Talvez eu não devesse estar aqui. Talvez eu deesse mesmo ter me matado.

 

 

 

Anúncios
♥ Perdida ♥

Carina Rissi

 

– Você foi a melhor coisa que encontrei aqui, sabia?

– E você foi a melhor coisa que encontrei em toda a minha vida.

 

Sinto que posso… flutuar quando estou com você. Como se fosse capaz de realmente voar! Sinto-me completo pela primeira vez, Sofia (…) E quando não estou com você, meu peito fica vazio, como se meu coração se recusasse a bater até que a encontre novamente.

 

– Eu te amo, Ian. Não importa para onde eu vá, nem quanto tempo passe. Vou te amar para sempre.

 

Ian me deixava muito perturbada, as vezes, eu queria beija-lo e nunca mais parar, e às vezes, queria esganá-lo.

 

Os poucos dias que passei ao seu lado foram os mais preciosos de minha existência. Então agradeço todas as noites por tê-la em minha vida.

 

Parecia que queria me dar o mundo! Ele só não entendia que já tinha feito isso quando disse que me amava pela primeira vez.

 

Mas eu não poderia sobreviver sem Ian, tinha certeza disso. Seria como tentar viver sem respirar, sufocante, insuportável e impossível.

 

♥ Marina ♥

Carlos Ruiz Zafón

 

Ninguém entende nada da vida enquanto não entender a morte.

 

O tempo faz com o corpo o que a estupidez faz com a alma.

 

A vida concede a cada um de nós apenas alguns raros momentos de felicidade. Às vezes, são apenas dias, ou semanas. Às vezes, são anos. Tudo depende da sorte de cada um.

 

Quem não sabe para onde vai não chega a lugar nenhum.

 

As vezes as coisas mais reais só acontecem na imaginação.

 

Por alguma razão a vida costuma nos oferecer aquilo que não buscamos. 

 

Citações

Publicado: 21 de março de 2016 em Sem categoria

♥ Fiquei com seu número ♥

Sophie Kinsella

 

– Um tesouro desse não pode ficar nas mãos dos filisteus. E Poppy é um tesouro, embora não perceba.

 

Mas a gente não percebe, não é? O momento surge a gente comete o erro terrível e ele acaba, e a chance de fazer qualquer coisa já era.

 

O tempo todo uma dor me corroía o peito. Estou quase me acostumando com ela.

 

Meu celular é minha vida. Não existo sem ele. É um órgão vital… ele é meu companheiro, é meu amigo, minha família, meu trabalho, meu mundo, é tudo. Sinto como se alguém tivesse arrancado de mim os equipamentos que me mantem viva.

 

E não importa. Seja lá quem fosse, quer eu conhecesse ou não, se eu pudesse ajudar de alguma forma, eu ajudaria. O que quero dizer é, se você pode ajudar, tem que ajudar. Não acha?

 

Não sei se ela me ama. Não sei se a amo. Só posso dizer que é nela que eu penso o tempo todo. É a voz dela que quero ouvir. É o rosto dela que espero ver.

 

♥ Alta Tensão ♥  

Harlan Coben 

 

A mais terrível verdade ainda é melhor que a mais bela mentira.

 

Temos uma tendência a acreditar que as coisas boas vão durar para sempre. É a nossa natureza. […] As coisas boas são raras. Precisamos valorizá-las, porque elas sempre acabam cedo de mais

 

É comum em momentos difíceis, as pessoas dizerem que o tempo cura todas as feridas. Conversa fiada. Na verdade, você fica arrasado, se entrega ao sofrimento e chora até achar que não vai conseguir parar nunca mais, e então chega a um ponto em que o instinto de sobrevivência assume o controle. E você para. Simplesmente não quer nem consegue se permitir mais “entrar em contato” com a dor, porque ela é grande de mais. Você a bloqueia. Você a renega. Mas na verdade não se cura.

 

 

Citações

Publicado: 21 de março de 2016 em Citações - O teorema Katherine
♥ O Teorema Katherine ♥

John Green

 

Tudo o que eu sempre quis foi que ela me amasse e que eu pudesse fazer algo significativo nessa vida.

 

Eu só quero ir rastejando até um buraco, cair nele e morrer.

 

BADALHOCA

 

Não havia como negar o sorriso dela. Aquele sorriso seria capaz de por fim a guerra e curar o câncer.

 

É só o que eu aprendi a um tempo atrás que a melhor forma de fazer as pessoas gostarem de você é não gostar muito dela.

 

♥ Cidades de Papel ♥

John Green

 

… As vezes, a forma como você pensa sobre uma pessoa não é a maneira como eles realmente são.

 

É muito difícil para qualquer um mostrar a nós como somos de fato, e é muito difícil para nós mostrarmos aos outros o que sentimos.

 

Espero que seja esta a provação de herói, porque não ir atrás dela é a coisa mais difícil que já tive de fazer.

 

– De perto tudo e mais feio – disse ela.

– Não você – respondi sem pensar. 

 

É muito fácil gostar de alguém a distância. Mas quando ela deixou de ser aquela coisa maravilhosa e inatingível e tal e começou a ser só uma menina que tem uma relação esquisita com a comida, de pavio curto e meio mandona, eu basicamente tive que começar a gostar de uma pessoa completamente diferente. 

 

CIDADES LOTADAS DE GENTE VAZIA

 

Mijar é como ler um livro bom, você não consegue mais parar depois que começa.

 

 

 

♥ A culpa é das Estrelas ♥

John Green

Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias inumerados.

 

– Meus medos?

– É

– Eu tenho medo de ser esquecido!  

 

Aparentemente o mundo não é uma fábrica de realizações de desejos.

 

Alguns infinitos são maiores que outros.

 

Talvez “Okay” seja o nosso “Sempre”.

 

Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelação.

 

Você pode amar muito alguém, mas você nunca pode amar uma pessoa tanto quanto pode sentir falta dela.

 

As vezes as pessoas não tem noção das promessas que estão fazendo no momente em que fazem.

 

Mas todo mundo deveria ter um amor verdadeiro, que deveria durar pelo menos até o fim da vida da pessoa. – Isaac

 

A nostalgia é um efeito colateral de se estar morrendo 

 

Esse é o problema da dor. Ela precisa ser sentida.

 

Nem todo mundo que chega na sua vida vem com a intenção de ficar. Da mesma forma que nem todas que se foram, queriam partir.

 

Não dá para escolher se você vai ou não se ferir neste mundo, mas é possível escolher quem vai feri-lo.

 

Esta é a sua vida. Sinto muito se é uma droga.

 

E mesmo assim doía. A dor estava sempre presente, me puxando para dentro, exigindo ser sentida. 

 

O verdadeiro amor nasce em tempos difíceis. 

 

A tristeza não nos muda. Ela nos revela.

 

Ah, eu não ia me importar, Hazel Grace. Seria uma honra ter o coração partido por você.

 

Tentar se afastar de mim, não vai fazer diminuir o que eu sinto por você.

 

Você precisa escolher as causas pelas quais vai lutar nesse mundo, Hazel.

 

O amor é um grito no vácuo.

 

– Deveríamos esperar escurecer. (Hazel)

– Para o Isaac já esta escuro. (Gus)

– Cara, eu sou cego, não surdo. (Isaac)

♥ Quem é você, Alasca ♥ 

John Green

 

Vocês fumam para saborear, eu fumo para morrer.

 

Se as pessoas fossem chuva, eu seria a garoa e ela o furacão.

 

Talvez tivesse medo que o medo a paralisasse outra vez.

 

Chega uma hora em que é preciso arrancar o Band- Aid. Dói, mas pelo menos acaba de uma vez e ficamos aliviados.

 

Bem, é ridículo sentir falta de uma pessoa com quem você não se dá muito bem. Mas sei lá, era bom, sabe, ter alguém com quem brigar.

 

O medo não é uma boa desculpa. O medo é a desculpa que todo mundo sempre dá.

 

TOC TOC

– Quem é?

– ETO

– Que ETO?

– Ta bom, não falo mais.

 

Cruzes! Não posso ser uma dessas pessoas que ficam sentadas falando que pretendem fazer isso e aquilo. Eu vou fazer e pronto. Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia. 

 

Oh God, Alaska,

I love you, I love you.

 

Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.

 

Você me deixou carente de talvezes, preso à porcaria do seu labirinto.

 

SORTE É COISA DE OTÁRIO.

 

As vezes perdemos a batalha, mas a farra sempre vence a guerra.

 

Minha pergunta é: Por que as pessoas boas se dão mal na vida?

 

Como sairemos deste labirinto de sofrimento.

 

O que estava sentindo não era bem tristeza, era dor. Aquilo doía, e não é um eufemismo. Dói como uma surra.

 

Gordo, você precisa entender que eu sou uma pessoa profundamente infeliz.                                                                                                                                    – Alasca Young

Citação  —  Publicado: 21 de março de 2016 em Citações - Quem é você, Alasca?, Sem categoria
Tags:, , , ,

Título: Extraordinário               CYMERA_20150608_203706 (1)

Título Original: Wonder             

Autora: P. J. Palacio 

Editora: Intrínseca

Número de Páginas: 318

Saiba mais: http://www.skoob.com.br/livro/297222ED489362

SINOPSE: August (Auggie) Pullman nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade… até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular em Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: Convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

  Gente, que livro incrível! O final dele me deixou muito emocionada. Sabe aquelas histórias que te fazem pensar na vida, faz você enxergar o mundo com outros olhos?! Então, Extraordinário vai fazer isso com você. Acredite!

Tudo o que o pequeno August passava, eu pensava: “Caramba, porque as pessoas fazem isso? Porque são tão cruéis? Mesmo sabendo que ele é apenas uma criança…”

  Quando terminei de ler esse livro, duas coisas vieram a cabeça: (1) Porque não li esse livro antes?! (1) Porque não virou leitura obrigatória nas escolas?!

  Sério, todas as escolas deveriam utilizar Extraordinário como leitura obrigatória, por ser um livro incrível, com uma combinação de tristeza, inocência, lição de vida, compaixão e aceitação. A maior parte das pessoas que leram afirmam que o livro é: “Um tapa na cara da sociedade”. Eu afirmo que o livro é “Um GRANDE tapa na cara da sociedade!”

   Agora vamos a ♥ resenha ♥

O livro vai nos apresentar a história de um menino chamado August, ou Auggie. Ele nasceu com uma síndrome rara que causou uma deformidade com grandes proporções em seu rosto, que ocasionou várias indas e vindas aos hospitais e a diversas cirurgias plasticas (facial). Bom, esse problema faz com que o garoto sofra com com os olhares das pessoas que o acham “diferente” e até mesmo com a insegurança existente consigo mesmo.

Mesmo sem erguer os olhos, eu sabia que estava sendo observado. Sabia que as pessoas estavam cutucando uma às outras, espiando pelo canto do olho. Pensei que já estivesse acostumado com esse tipo de coisa, mas talvez não. (Pág. 56) 

   O Livro se inicia narrado pelo ponto de vista do próprio August, ele vai nos mostrar algumas lembranças de quando pequeno, os procedimentos cirúrgicos realizados e as cirurgias feitas para tentar melhorar ao máximo a sua aparência. Essas operações deram certo, porém a imagem do menino ainda continuou muito chocante.
   Ele vai nos apresentando o relacionamento bem bacana que possui com seus pais, que são além de tudo seus amigos e protetores. A mãe de Auggie sempre o ensinava em casa, por que achava que não era a hora de colocar ele numa escola, porém, já com 10 anos ela acha que o garoto já tem idade suficiente para ir assistir às aulas e ter uma vida mais ”normal”. De princípio Auggie tem medo do que possa a vir a acontecer e teme a ideia de sua mãe, porém a mãe dele acaba por convencer o menino a ir para a escola, daí o livro ganha um desenvolvimento fantástico.

Eu gostaria que todo dia fosse Hallowen. Poderíamos ficar mascarados o tempo todo. Então andaríamos por aí e conheceríamos as pessoas antes de saber como elas são sem máscaras. (Pág. 80)

O legal também, é que a autora em nenhum momento deixa de descrever a reação sincera de crianças e adultos, mostrando o quanto a novidade e o incomum (no caso, o rosto de Auggie) podem chocar. A história é dividida de acordo com momentos da vida de Auggie… tipo, (“como eu nasci” ou “nervosismo do primeiro dia”) e, portanto são capítulos bem curtinhos. Há também divisões entre as personagens, cujas partes da histórias são contadas na visão da irmã mais velha Olivia (Via), e amigos de August (além dele mesmo) — o que, sinceramente, fez toda a diferença, nos mostra as opiniões e desabafos sinceros de vários ‘lados’, sendo possível captar a história como um todo.

♥ Pontos de Vistas ♥

              

                

                          

   O livro é dividido por partes e essas partes são narradas por personagens diferentes, de apresentando o ponto de vista de todos: de quem sofre, de quem machuca, de quem convive…

AUGUST – Protagonista;

VIA – Irmã de August;

MIRANDA – Amiga de Via;

JACK – Amigo de escola de August;

JUSTIN – Namorado de Via;

SUMMER – Amiga de escola de August.

   Num todo o livro conta o dia-a-dia de August num mundo dominado pelo preconceito de todas as formas. Auggie no inicio me pareceu bem forte, mas ao longo da leitura percebemos que – assim como todos – ele sofre por cada olhar estranho, por cada palavra maldosa dirigida a ele, cada falso amigo.
E não é só ele quem sofre, pessoas relacionadas ao garoto também sofrem com tais atos.
O livro possui uma diagramação excepcional e linda. Detalhes no inicio de cada parte e frases com uma relação direta com a história. O livro é repleto de influencias tais como: Star Wars, Músicas, Filmes, dentre outros.
— “Mais gentil que o necessário” — repetiu. — Que frase maravilhosa, não é? Mais gentil que o necessário. Porque não basta ser gentil. Devemos ser mais gentis do que precisamos. Adoro essa frase, essa ideia, porque ela me lembra que carregamos conosco, como seres humanos, não apenas a capacidade de ser gentil, mas a opção pela gentileza. (página 302)

   A proposta do livro na minha opinião não é fazer com que o leitor tenha pena do August, e sim nos passar uma grande lição, nos fazendo entender que mesmo uma pessoa sendo deficiente de alguma forma, acabamos sendo todos IGUAIS.
Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil. (R. J. Palacio, trecho do livro ‘Extraordinário’, página 55)
   Mas, e aí, você conseguiria se imaginar no lugar de ‘August’? Como seria sentir-se rejeitado(a), ser motivo de piadas por sua aparência?
♥ Espero que tenham gostado ♥